O ATO DA RELIGIÃO COMO CONDENSADOR DE SUJEITOS NA TEORIA DE DURKHEIM

  • Edmilson Cardoso da Silva
  • Alan Silva Barcelar
Palavras-chave: Religião, Fato Social, Coesão social

Resumo

A religião na perspectiva do sociólogo francês Èmile Durkheim é um fenômeno de Coesão Social. Ao abordar essa problemática ele não está preocupado em compreender a fé de cada indivíduo, mas sim analisar como a religião é capaz de manter a ordem social através de um senso coletivo. Para fortalecer melhor esse argumento o Durkheim conceitua a religião como um “Fato Social”, pois possui todas as características necessárias para tal. Ao conceituar a religião como um “Fato Social” Durkheim parte do princípio que a religião foi criada com o objetivo de manter a ordem de uma determinada sociedade. Quando ele classifica um ato profano, o mesmo está voltado aos anseios individuais, mas quando se refere a um ato sagrado, está direcionando a uma ação coletiva. Neste caso, a religião é vista em sua concepção como um ato sagrado, onde diversas pessoas partilham das mesmas crenças, costumes, valores etc.

Publicado
2019-02-24